Mostrar mensagens com a etiqueta livros. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta livros. Mostrar todas as mensagens

quinta-feira, 13 de julho de 2017

4 sugestões giras para o quarto dos vossos filhos.

Sinto que o quarto delas está em eterna construção, qual Sagrada Família, mas sabe bem ir mudando algumas peças de decoração, brinquedos e livros (já andava a enjoar um bocado os da Patrulha Pata). 

1) Já temos uma colecção considerável de almofadas, mas, para já, não são demais. Agora que a Luísa dorme ali e partilham a cama (contei-vos aqui a novidade), forramos a parede e o chão com elas e, quando estão na cama durante o dia, acaba por funcionar como um sofá confortável. 

Unicórnios Let it Sweet

Almofada dos pandas Ternurinhas de Pano

2) Instrumentos musicais, apesar de me cansarem um bocadinho (alguém me cale o órgão na cozinha, pff!), são uma excelente forma de eles explorarem músicas e improvisarem. Esta guitarra nova é uma delícia (pelo menos enquanto não dão com ela na cabeça uma da outra).

Guitarra Fragosa
Vão estando atenta aos stories que todos os dias estas duas dão concerto


3) Livros nunca me parecem a mais. Adoro contar-lhes histórias (contamos todas as noites antes de dormir desde os 5 meses da Isabel - a Luísa ainda não liga muito) e é o que realmente gosto de coleccionar (acho o melhor presente de todos) e gosto de variar. 

Descobre o caminho no fundo do mar / o caminho na Selva (jogo/mapa interactivo) - Booksmile ( 20|20 Editora)







Histórias da Princesa Poppy - Booksmile ( 20|20 Editora)






4) Acessórios pendurados na cama e no tecto, que miúdo não gosta? Na minha adolescência punha autocolantes daqueles que brilham no escuro no tecto e nas paredes. Agora elas têm uma grinalda de bolas, uma de estrelas e umas nuvens queridas penduradas na cama.

Nuvens Cloudish







Vejam aqui:
Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.
Enviem-nos um mail  à vontade.

sexta-feira, 26 de maio de 2017

A Mãe dá - 4 livros para bebés!

Já andavam a ressacar de passatempos aqui no estaminé, não é verdade?

Não quisemos passar o Dia da Criança em branco e lembrámo-nos de sortear o melhor presente que eles podem receber: livros.

Estes da Babytown da 20 / 20 Editora têm as ilustrações mais queridas e fazem já um enorme sucesso cá em casa: talvez por estar rodeada por tantos livros e acompanhar as histórias que conto à Isabel antes de dormir, desde sempre, a Luísa já tem uma enorme curiosidade, fica atenta às minhas mudanças de voz e gosta de folheá-los - e estes ela pode, são próprios para mãozinhas pequeninas ;)

 Ora portanto o que temos nós aqui para vos enviar: quatro livros da Babytown!











O que têm a fazer?

Like na página de Facebook  20 / 20 Editora
Like na nossa página de Facebook a Mãe é que sabe

 
Taggar três amigas no post de Facebook (este aqui em baixo) 
e partilhá-lo publicamente no vosso perfil.



O vencedor será escolhido por random.org dia 1 de junho às 21h 
e anunciado em comentário no Facebook. 

BOA SORTE! E BOAS LEITURAS!




............
............
Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Não sei ler!

Nunca fui uma ávida leitora, com hábitos regulares. Tenho vários amigos que são o Marcelo Rebelo de Sousa, um deles chega mesmo a ser o próprio (ahah imaginem), mas apesar de eu ter uma enorme vontade e o faze e de ter uns 32 livros em espera não o consigo fazer. 

Dantes dizia que era porque a Irene era pequenina e acordava imensas vezes por noite (faz a noite toda desde que fez 3 anos - yeahhhhhhhhhhh). Depois, cheguei a dizer que era porque era a única altura que tinha para estar no sofá em casal e, por isso, também não parecia o mais acertado. Agora, não sei porque será! 

Quero muito ler e não consigo! Acho que não sei ler. 

Mesmo assim, queria aconselhar-vos um livro no qual tenho dado uns toques desde há uns meses e foi a minha amiga Eugénia (psicóloga e hipnoterapeuta que me ajudou MUITO com a ansiedade como puderam ler aqui) que me indicou, conhecem? 




Aconselho vivamente. Vão se identificar com cada palavra do livro, mesmo que não seja do vosso presente. Levem convosco para a praia ou assim, nem que seja para ficar a fazer pressão psicológica como os meus... 

"Filha de um rei e de uma rainha intolerantes e severos, Vitória é uma princesa que sonha ser um dia libertada por um príncipe encantado, tal como nos contos de fadas. Porém, quando esse príncipe chega, nada acontece como ela havia sonhado. Seguindo os conselhos de um sábio, a princesa empreende uma emocionante viagem, no fim da qual descobre que os contos de fadas podem mesmo tornar-se realidade, embora nem sempre do modo como os idealizámos... 

A Princesa que Acreditava em Contos de Fadas é um livro inspirador e de autodescoberta que apela à reflexão sobre as fronteiras do sonho e da realidade, da infância e da maturidade... e sobre o milagre quotidiano que é a vida."

........................................

Sigam-nos no instagram 
aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.

sexta-feira, 10 de março de 2017

Eu sou o Marcelo só que ninguém sabe (#07) Animais Excecionais




Por alguma razão é-me muito difícil acreditar que sou capaz de fazer coisas extraordinárias. Nunca pensei que editasse um livro, por exemplo. A verdade é que, tentei e consegui. Nunca pensei ir ao Você na TV falar sobre ele, mas a verdade é que tentei e consegui... 

A Filipa Costa também tentou e, juntamente com o Nuno Dionísio, não pararam até conseguirem concretizar o objectivo deles: editar um livro para crianças, com muito amor e carinho em cada página. Sente-se esse carinho. E eu, acima de tudo, sinto é que foi mais uma pessoa que trilhou o seu caminho e que conseguiu o que queria. 

Podem saber mais aqui

Força Filipa e Nuno <3 ;)

...............

Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Eu sou o Marcelo só que ninguém sabe (#05)

É sempre um pouco imprevisível qual vai ser a próxima obsessão da Irene para o livro da história da noite. Temos alguns preferidos, mas há semanas em que as escolhas são improváveis. Só falta apontar para a descrição dos ingredientes dos cereais e dizer "é isto, mãe". 

No entanto, este livro, conquistou-nos à primeira leitura. Aliás, até antes de ler. Os desenhos num curto folhear transmitem carinho e miminho. E, depois a escrita também. 

Este é um livro que ajuda as crianças (e os pais) a dormirem. É escrito por uma psicóloga clínica especializada em bebés (Dra. Clementina Almeida) e enquanto nos leva por uma viagem na imaginação de Olívia (a ovelha que não queria dormir) que já está aconchegada na cama depois de um banhinho dado pela mãe e muitos miminhos, vai também introduzindo técnicas de relaxamento adaptadas aos nossos filhos. A Irene consegue assim aprender a relaxar sozinha através da respiração e de outros movimentos que foram descritos com ternura. 

A par de tudo isto, o próprio livro tem um cheiro de alfazema que é descrito como sendo o cheirinho do banho da Olívia. É um cheiro calmante e que convida a começar a esfregar os olhinhos e a bocejar...

A Irene gosta muito da história e fica muito mais relaxada. O problema é que eu também e é quase certo que nestes dias fico a dormir com ela. 



Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Eu sou o Marcelo só que ninguém sabe (#04)

Nem sempre temos a história antes de dormir. Às vezes a história é enquanto está sentada na sanita ou à hora de jantar ou, então, nem sequer há história porque "está muito tarde". Este livro é muito importante para nós, para a família. Quando a Irene ficou em casa connosco, foi-nos acompanhando ao longo do dia e a maior parte das refeições. Temos um carinho especial por ele. Lembro-me do dia em que o comprei, etc. É daqueles livros que, mais tarde, quando doar os livros a alguma associação ou amiga, irei guardar dentro do armário. 

Além dos desenhos serem amorosos e de dar para adaptar para várias idades, o pai até já criou histórias extra as que lá estão. Tanto que o livro é diferente quando é contado pelo pai e quando é contado pela mãe (o pai é bem melhor nisto). 

Com este livro começou a aprender o aqui e ali (o acolá... dispensamos um pouco), "em cima", "em baixo", "contente", "triste", as cores... Está tudo aqui. Depende só de quem lê. 



Só para verem quanto gostamos deste livro, limpo logo com um paninho húmido quando fica um bocadinho sujo de sopa! Aconselho... Vivamente. Não o meu, no meu não tocam. Ai, no da Irene ;)

Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este

sábado, 12 de novembro de 2016

Eu sou o Marcelo só que ninguém sabe (#03)


Ando sempre à procura de livros "fora" para a Irene. Visto que ainda não está na idade de conseguir prestar atenção às coisas durante muito tempo e gostaria muito que ficasse amiga dos livros, este foi mais um que não me poderia escapar. Sim, é para mais de 3 anos e ela ainda só tem 2 e meio, mas nem sabem o que aconteceu.

Tento dosear as novidades. Posso ter uns 10 livros para estrear no mesmo dia, mas vou pontuando quando lhos ofereço ou lhes conto as histórias. Este livro ficou perdido pela sala de jantar. Num destes sábados (ou domingos, não sei), a Irene ficou a fazer a sesta com os avós enquanto fomos almoçar. 

Quando voltamos a avó, assim que teve oportunidade, com os seus olhos que sorriem mais do que 20 bocas juntas quando estão felizes, disse-nos "aquele livro das mãos é mesmo muito giro". Ainda tinham estado pouco tempo juntas. Menos de uma hora  e ainda com tempo de fazer piquenique pelo meio (estender um cobertor no chão e comerem pão com manteiga, sendo que é a Irene a barrar no pão dela) e já tinham ido direitinhas àquele livro. Ambas as meninas gostaram. A Avó ficou surpreendida por ser tão giro e a Irene adorou aquele momento com a avó e em que, além de ter começado a olhar para as mãos de outra maneira, teve um estímulo enorme para ver as coisas "para além do que parecem". 

As próprias mãos podem ser um brinquedo para horas, sendo elefantes, girafas...




Foi um livro que se tornou num abraço entre avó e neta e também numa descoberta criativa das suas próprias mãos. Afinal, a Irene está sempre acompanhada de coelhinhos, elefantes, cães e sapos... basta querer que eles aparecem. 

Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui
O nosso canal de youtube é este

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Eu sou o Marcelo só que ninguém sabe (#02)

Depois do sucesso da primeira edição desta rubrica, aqui vos apresento mais uma sugestão: Mistura as Cores de Hervé Tullet. 

Depois da minha amiga Eugénia que me mudou a vida toda me ter recomendado "O melhor livro de sempre (até agora)" que é do mesmo senhor, nunca deixarei de adquirir coisas feitas por ele. São sempre surpreendentes e as favoritas da Irene (durante mais tempo que o que é normal ela preferir coisas). 


Este livro poupa-nos uma limpeza de meia hora. Claro que não significa que não misturemos cores com eles noutros dias, mas o facto de ser um livro atrai-me. Quero que a Irene goste de livros e que não os veja como um objecto obsoleto, apesar de não ter grande argumento para esta minha preferência. 

Estes livros são mágicos e é isso mesmo que passam para eles. Que estamos a fazer magia e que são eles quem controla a história, enquanto aprendem acções, cores, etc. 


Com o entusiasmo, até fiz um vídeo do primeiro contacto da Irene com o livro:


  
Um vídeo publicado por Joana Gama (@joanagama) a


Se andarem numa livraria, já sabem que este é giro de certeza ;)

Ah! E sou o Marcelo porque ando sempre a namorar imensos livros de uma vez só, não porque vá nadar para o Tejo ou lá o que é.

               Sigam-me no instagram @JoanaGama e ao blog também @aMãeéqueSabe

domingo, 30 de outubro de 2016

Eu sou o Marcelo só que ninguém sabe (#01)

Tenho vindo a reparar que sou realmente muito entusiasmada por livros, pelo que estava a pensar em inaugurar esta rubrica. Vamos ver no que dá, se vos interessa.

Há já uns meses largos que tenho este livro lá em casa, mas como diz que é para "mais de 4 anos", não lhe tinha ligado muito. Num destes fins-de-semana - que agora prefiro ficar mais em casa para todos descansarmos - em que andei à procura de coisas para fazer, olhei para ele e pensei: "é já!". 


E que livro! Sinto que a Irene está agora na idade de ligar mais aos livros (finalmente), mas este livro, então, é uma combinação perfeita para juntar a família e ainda ficar com uns bonecos especiais com umas memórias agarradas. 

Tem animais para destacar, com as suas características escritas (se são preguiçosos, o que gostam de comer...) e até eu consegui montá-los com cola. Neste caso, em baixo, o coelho fui eu e o Óscar foi o pai. Também já houve uma gata Biba que acho que está debaixo de um brinquedo qualquer no quarto dela.





Sempre que o usamos, o Frederico pergunta-me (coitadinho, é de manhã) quanto custou o livro porque tem ar de ser caro. Sabem que mais? Não acho nada! Vejam aqui

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

a Mãe dá - 5 exemplares do melhor livro do mundo!

Já toda a gente sabe que o nosso livro "a Mãe é que sabe - como sobrevivemos aos primeiros 2 anos" é do melhor que já se viu por aí, para não dizer mesmo a melhor obra literária do mundo. E ainda estaria a ser modesta. Ahah! Já muitas de vocês nos escreveram e enviaram fotografias com o livrito ao lado - até em Londres e na Suíça andam exemplares desta grande obra. Há maridos, namorados, avós e amigas que surpreenderam futuras e recém-mamãs com o nosso livro. Isso é de valor. 

 Obrigada <3 

Mais do que uma mala para a maternidade com as roupinhas separadinhas por envelopes, o que todas as mães precisam é de dar umas valentes gargalhadas, deitarem uma lagrimita com textos mais piegas e terem a nossa companhia nesta grande aventura. E não somos nós a dizê-lo! :) Somos, mas shiuuuu.

Estamos tão contentes que vamos fazer novo passatempo!
 
Temos 5 livros para oferecer. 
Querem, querem, querem?


Sinopse:

"Mais do que uma ida à esteticista, o que toda a mãe precisa, ainda para mais nos primeiros tempos, é sentir-se compreendida, acompanhada e confiante (quase parecia um anúncio a pensos higiénicos agora, nós sabemos). A mãe é que sabe. E se há alguém que tenha de meter isso na cabeça somos nós, as mães. Produto de um blogue criado com muito amor mas que, à semelhança dos bebés, com muito cocó também à mistura, este é um livro que pretende ser a melhor amiga de quem esteja a passar pela maternidade (não o edifício em si, mas a aventura de ser mãe). Infelizmente, nem sempre engravidamos ao mesmo tempo que as nossas amigas e, por isso, ou fazemos um bloguezinho (ups) ou ficamos a falar com as paredes. Sabemos que não têm tempo para ler este livro, mas certificamo-nos que ficaríamos bem na prateleira - apesar de, por termos sido mães, já não termos uma prateleira em condições. Estamos convosco. Aqui está como sobrevivemos aos primeiros dois anos da Isabel e da Irene." 



O que têm de fazer:

1 - Partilhar o post do passatempo que está no Facebook publicamente, este:



2- Comentar o mesmo post com "Até dava um mindinho para ter um! " ;)


3 - O sorteio será feito de hoje a oito dias, através de random.org e iremos anunciar os vencedores em forma de comentário no próprio post, pedindo que nos enviem um email para amaeequesabeblog@gmail.com com a vossa morada.
Boa sorte! 


Sigam-nos no instagram

terça-feira, 9 de agosto de 2016

a Mãe dá - Livro de Magia das Mães - Constança Cordeiro Ferreira

A questão é mesmo essa. Trata-se de felicidade. 

É impossível que, depois daquilo que passámos com a gravidez, o nascimento da criança, o pós parto, os primeiros meses das crianças, não sintamos o nosso coração aos pulos de vontade de ajudar uma mãe que esteja a passar pelo mesmo. Às vezes somos desastradas e, pela vontade de falar, acabamos por não dizer nada de jeito ou acabamos por espalhar conclusões que não são assim tão óbvias para outras mulheres, com outras almas, com outras histórias. 

O meu parto e os primeiros meses... (quem é que eu estou a enganar... para aí o primeiro ano) da Irene foram uma explosão na minha cara e no meu corpo. O meu coração continuava no sítio certo, mas estava preso, estava enterrado sob os estilhaços. Sentia-me partida e culpada por estar assim na altura em que queria estar mais compostinha para dar um início de vida perfeito para a minha filha. 

Em vez disso, quando ela nasceu, senti nada. E depois, quando comecei a sentir, continuei a esparramar-me com imensas rasteiras, reflectindo-se tudo na amamentação. A Irene eu estávamos a dançar, mas a pisar os pés uma da outra e sem nos olharmos nos olhos, sem escutarmos a nossa música. Foi o baile mais longo da minha vida e o mais importante (continua a ser que ainda cá estamos as duas, claro). 

Quero conseguir dar amor e alento às mães que além de darem os seus abraços aos bebés, também precisem de ser abraçadas também. Nem todas temos uns braços enormes para conseguirmos abraçar-nos a nós mesmas, às vezes precisamos de quem nos dê uns beijinhos e que nos faça acreditar - que é verdade - que o amor traz a força. Porque traz. 

Já ajudei uma. 



Temos "só" de baixar o volume externo. 

Este "só". Este "só"... 

Este "só" é o que a Constança (as mães que foram tocadas pela sua magia tratam-na pelo primeiro nome) tenta explicar a milhares de mães. Não é explicar, é mostrar. Porque está ali. Está aqui. Connosco.

Este é o segundo livro que considero essencial. Fui uma papa livros de maternidade e todos os outros que li são "mariquices" comparado com o que aquele livro e este nos ensinam.

Quem quer saber se os olhos se limpam de dentro para fora ou de fora para dentro se estiver constantemente a culpar-se a si própria por não ser melhor mãe? 

Este livro assenta corações e permite-nos voar com os nossos filhos (e com os pais deles). É magia. 


Podemos ajudar a Constança na missão dela (que é de todas nós) e espalhar a palavra, a magia.

Temos 5 livros para oferecer. Querem participar?

1 - Terão de fazer like nas páginas de Facebook das respectivas marcas envolvidas e d'a Mãe é que sabe:




2 - Terão de partilhar publicamente o post do Facebook referente ao passatempo no vosso perfil, o que estará em baixo no ponto três-

3 - Terão de comentar o post do Facebook do passatempo, identificando três amigos.

                                       
                     
4 - Só se pode participar uma vez por perfil.

5 - O vencedor será apontado aleatoriamente através de random.org e anunciado, depois de uma semana, em comentário ao post do passatempo sendo identificado. Serão válidas as participações até às 23h59 do dia 17 de Agosto.

6 - O vencedor terá de enviar e-mail com os dados pessoais (morada e número de telefone) para amaeequesabeblog@gmail.com

7 - Só serão válidas as participações que tenham feito like nas páginas dos parceiros. O mais provável será o facebook retirar muitos dos likes ao longo do decorrer do passatempo por suspeitar de fraude (vão ser muitos e muito rapidamente), aconselhamos a que os revejam mais para o final do prazo para repor. 


Boa sorte!!! ;)

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Must-have: Quiet book ou o livro da Irene pelo qual me apaixonei.

As mães assim mais interessada pelas coisas mais "naturais", mas que... não tenham grande jeito para projectos Do It Yourself vão ficar babadas com isto. É fabuloso. É alguém a por os nossos sonhos em tecido, mas sem sermos nós a picarmo-nos todas e a ficarmos frustradas por não conseguirmos coser em redondo. 

Se se abstraírem das unhas da Irene em pré-corte, vão perceber porque é que este é um quiet-book: um livro que os mantém ocupados (vá, calados) e que estimula a aprendizagem, motricidade fina, etc. 

Digam lá que não é fabuloso? Eles entretidos, enquanto aprendem e com algo tão tradicional, com tantas texturas... 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Quiet-book - Macaquini

sábado, 2 de julho de 2016

Estou a ser muita parva, não estou?

Estou a fazer as malas para ir de férias e dei por mim a levar isto...


Estou a falar dos livros. Primeiro: levo quatro. Depois... levo livros? 

Já nas últimas férias levei imensos livros e... POR ACASO ATÉ LI UM! Afinal é possível!

Vou com os meus sogros para uma casa alugada em Óbidos e como só há uma televisão, vocês percebem! Ainda por cima acho que só tem os nossos quatro canais (medo). 

Levo quatro, não porque me esteja a armar em Marcelo mas como nenhum é um romance em que se tenha de seguir uma história com muita atenção, posso ir trocando consoante me apeteça aprender uma coisa de outra coisa qualquer. 

Vocês conseguem ler no dia-a-dia? Ou hibernam como eu? Isto é: adquirem livros para ficarem giros no quarto na esperança de que um dia os vossos filhos casem e leiam tudo de seguida? 


Ah!!!

Se forem de férias, é favor levar o nosso livro, está bem? 


Ouvi dizer que é dos melhores que para aí andam. 

sexta-feira, 17 de junho de 2016

Livro lindo + autocolantes = perdição total!

Se há coisa que abunda cá em casa são livros. Há-os espalhados por todo o lado e até na casa de banho já há uma pequena biblioteca. Não somos de encher a Isabel de brinquedos (aliás, ainda tem alguns por abrir do Natal, preferimos que vá abrindo ao longo do ano para ir explorando ao máximo os que tem). Livros, sim, abusamos, desde que nasceu. Todos os meses, no dia 16, lhe oferecia um. Depois do primeiro aniversário, quebrámos a regularidade das datas e passou a ser sempre que podíamos ou nos apetecia. Depressa a família entrou no esquema e já sabe que uma das melhores surpresas que a Isabel pode ter são livros. Contamos-lhe histórias religiosamente antes de dormir, é um daqueles hábitos que começou logo por volta dos 6 meses, quando já se sentava no nosso colo. Claro que não entendia patavina do que lhe dizíamos, mas foi-se habituando à cantilena e a rotina ficou. Até hoje ir para a cama é tentador, porque são dos nossos momentos preferidos em família. 

Há uns meses veio a loucura dos autocolantes, que começou com aqueles das maçãs e das bananas. Foi então que procurámos livros que aliassem as duas paixões dela. Nenhuns lhe encheram mais as medidas do que estes, da Princesa Poppy. que a minha mãe comprou na Feira do Livro. São maravilhosos: adoro as ilustrações muito vintage, que parecem aguarela, e sinto-me a regressar à infância.














Sigam-nos no instagram @aMaeequesabe
E a mim também;) @JoanaPaixaoBras